Sobre

SOBRE

CONHEÇA O PROF. Luigi Bonafé

Sou um professor de História apaixonado pelo desafio de redescobrir o magistério e desvendar a banca do CACD a cada ano.

Desde 2007 ensino História especificamente para quem quer ser diplomata. De lá pra cá, as provas do CACD mudaram muito, e os candidatos também. Como professor, eu fui mudando junto.

A partir de 2014, rompi com um padrão do mercado da preparação para o CACD. Comecei a desenvolver um tipo de curso intensivo preparatório para a primeira fase do concurso (o "TPS", feito de questões objetivas) baseado no que chamei de "história das questões de História". Ou seja, um curso de exercícios pré-TPS sem nenhuma questão inédita e feito exclusivamente a partir de itens objetivos já cobrados em edições do concurso de anos anteriores. 

Desde 2015 passei a dar aulas nos cursos teóricos extensivos do IDEG, que no passado ajudaram a revolucionar os fundamentos da preparação para o concurso de diplomata — e até hoje seguem como padrão de excelência inigualado em termos de Formação Teórica regular para o CACD.

Desde 2016, em plataforma própria e independente de cursinhos, criei também um método de preparação para as provas discursivas de História do Brasil do CACD. E esse método foi aplicado pelos 3 candidatos que tiraram as notas mais altas das provas discursivas de HB em 3 anos seguidos: 2016, 2017 e 2018.

Aqui nessa página estão reunidas essas e outras informações sobre a minha vida profissional, particularmente a respeito do meu trabalho como professor de aspirantes a diplomata. Mas, para além de saber o que um professor tem a dizer sobre si mesmo, talvez seja mais importante pra você ter ideia do que é que outros alunos e ex-alunos pensam do meu trabalho.

Veja alguns exemplos:

E quem conhece, o que diz?


profile-pic

melhor preparação para cada aluno e resultados expressivos ano após ano

Jorge Santos - Diplomata aprovado em 2018 • 1º lugar (cotas)

Luigi foi um divisor de águas na minha história com o CACD, pois mudou também minha forma de lidar com o concurso como um todo. Além de um domínio absoluto de todo conteúdo, ele busca estar, de certa forma, na pele do candidato e, nessa posição, tenta pensar, de modo permanente e sistemático, a melhor e mais eficiente maneira de estudar, sistematizar e assimilar um conteúdo, no caso de História, vasto e extremamente detalhado. Em todos os vários cursos que fiz (Intensivos 1ª Fase 2017 e 2018, Intensivos 3ª Fase 2017 e 2018 e Revisão 2016), Luigi se mostrava sempre incansável na busca por atacar todos os pontos do edital, pensar e repensar todas as possibilidades que os temas poderiam aparecer tanto na 1ª quanto na 3ª fases, sem perder o pragmatismo e foco absoluto na prova. Poucas vezes vi um professor tão dedicado e apaixonado em oferecer a melhor preparação para cada aluno individualmente, com resultados expressivos ano após ano.

profile-pic

me auxiliou a responder mais objetiva e factualmente, como a banca demanda

Francisco Santos - Diplomata aprovado em 2018 • 1º lugar geral

Estudar com o Luigi foi de extrema importância para a minha preparação. O curso Teórico Extensivo de HB é sólido e aprofundado, me deu uma excelente base para encarar a prova. Já o Intensivo de questões discursivas foi essencial para fazer uma boa prova de 3ª fase: além de ser uma revisão (essencial) na reta final, este curso me auxiliou a moldar minha escrita para a prova de HB e a responder mais objetiva e factualmente, como a banca demanda. Por fim, o Luigi é uma pessoa muito querida e que sempre esteve pronto a ajudar e a tirar dúvidas!

profile-pic

Como cheguei à maior nota de HB na 3ª fase de 2016

Murilo Cavalcante - Maior nota do CACD 2016 • 96/100 em HB

O curso de terceira fase com o prof. Luigi Bonafé foi decisivo e fundamental para a obtenção de 96/100 na prova de 3ª fase de História do CACD 2016. Não apenas ganhei densidade em tópicos relevantes do edital de História, como também pude entender melhor o que a banca esperava de mim nessa prova. Além disso, ter a segurança de como escrever na hora "H" permitiu que eu ganhasse preciosos minutos.

profile-pic

Não há como não recomendar o prof. Luigi para todas as fases do concurso!

Victor Born Portella - Diplomata aprovado em 2018 • 8º lugar geral

Quando eu não tinha sequer recursos para continuar o concurso, o Professor Luigi apostou em mim. Mas muito mais do que isso, ele dominou a prova de História e abriu-a para seus alunos.
Com ele, confirmei uma impressão que tive depois de minha primeira terceira fase. A prova de história vai muito além da cultuada forma. É conteúdo. Quanto mais conteúdo e fatos o candidato acumula, mais recursos ele tem para se virar na prova. A forma importa, mas é subsidiária ao conteúdo. Muitos candidatos esquecem disso.
Ademais, o Professor analisa com profundidade as bancas, poupando esforço hercúleo dos candidatos. Destrincha-as, busca seus segredos e detalhes, circunda-a em todos os seus flancos.
O vocabulário é mesmo de guerra. Com a estratégia do Professor Luigi, senti-me seguro para lidar com qualquer banca em qualquer hipótese. A caixa de ferramentas ficou mais completa. O resultado foram consecutivas e seguidas notas acima da média em todas os concursos que fiz na matéria de história.
Não há como não recomendar o professor Luigi para todas as fases do concurso!

profile-pic

Caso haja indicação incontornável para sua preparação, certamente é o prof. Luigi

Atualidades Concursos - Trecho de blog

Caso haja alguma indicação incontornável para a sua preparação, certamente é o professor Luigi. Ele conhece os itens da primeira fase melhor que qualquer outra pessoa: durante a aula, o professor não explica somente o motivo de determinado item estar certo ou errado, ele destrincha cada frase e descreve as intenções do avaliador, dessa maneira você aprende a pensar como a banca e a resolver as questões com muito mais facilidade e confiança. Antes de estudar com o Luigi eu tinha uma impressão muito forte de que os itens de História do Brasil eram cobertos por um manto de subjetividade. Esse não é o caso. As afirmações contidas na prova são notavelmente objetivas. (Leia o post completo: "Como estudar para o CACD")

profile-pic

informação minuciosamente selecionada para os objetivos do CACD

Lauro Grott - Diplomata aprovado em 2017

Minhas principais dificuldades eram duas: saber quais informações selecionar para inserir na resposta e como direcionar a resposta para aquilo que o avaliador estava esperando. O curso me forneceu uma grande quantidade de informação, que, no entanto, não era esparsa, mas sim minuciosamente selecionada para os objetivos do CACD. A prática dos exercícios propostos pelo professor Luigi também nos treinou para que tivéssemos um certo grau de intuição para fazer a prova, até mesmo porque, no dia do exame, o tempo para a análise dos comandos é extremamente escasso. O professor ateve-se a todos os detalhes possíveis para que pudéssemos majorar nosso desempenho. No curso de terceira fase, providenciaram-se informação, análise, e mesmo discussões sobre o que fazer exatamente na hora da prova (brainstorming, momento de começar a escrever, etc.). Essa abordagem auxiliou não somente na parte de conteúdo da prova, mas também no aspecto psicológico da preparação. O comprometimento do professor em buscar todo tipo de informação útil para os alunos, desde bibliografia específica até a análise da produção acadêmica dos avaliadores. Colocado de uma forma simples e direta, o professor Luigi ensina de maneira clara e didática.

profile-pic

três aspectos que me ajudaram a aumentar a nota para 95/100

Christian Estivallet - Diplomata aprovado em 2017 (3º lugar) • 2ª maior nota de HB no CACD 2016 (95/100)

O intensivo de História do Brasil de 6 semanas com o prof. Luigi antes da terceira fase do CACD de 2016, pra mim, foi fundamental sobretudo em três aspectos para melhorar minha nota em relação ao ano anterior. Primeiramente, a forma como praticamos as questões contribuiu enormemente para simular o ambiente de prova, com tempo escasso e questões desafiadores. Em segundo lugar, as correções individualizadas e debatidas com o professor ajudaram a compreender melhor quais eram as demandas da banca para cada questão, até mesmo pelo reconhecimento de qual seria o elaborador de cada questão e quais eram os critérios mais prezados por ele. Finalmente, o intensivo foi importante para aprofundar e consolidar alguns temas que teriam maior probabilidade de serem cobrados na prova. Ao final das seis semanas fiquei extremamente satisfeito com as aulas e especialmente com o resultado da prova de História do Brasil.

profile-pic

Fez toda a diferença para que conseguisse ser aprovada

Priscila Liz - Diplomata aprovada em 2017 • Medalha de Prata no Prêmio Rio Branco 2019

Sem sombra de dúvidas, o formato, a metodologia e o conteúdo dos cursos foram excepcionais. O comprometimento e a disposição do professor Luigi para com seus alunos e a qualidade do curso asseguram o êxito das modalidades intensiva e extensiva dos seus cursos para a 3ª fase do CACD. Posso dizer que as aulas me fizeram compreender os pormenores da prova e da banca corretora, o que fez toda a diferença para que conseguisse ser aprovada em 2017. Para além do conteúdo, que é bastante aprofundado nos cursos, o grande diferencial do professor Luigi é fornecer aos seus alunos instrumentos que lhes permitem compreender os critérios de correção e o próprio perfil da banca avaliadora, dos quais a aprovação no concurso depende em larga medida. Um dos grandes diferenciais é a possibilidade de aprender a lógica da prova e da banca e, então, realizar a correção dos simulados de maneira autônoma e já antecipar os itens indispensáveis em uma questão sem depender do auxílio de professores, uma vez compreendida a lógica da grade de correção empregada pelos corretores. Pude comprovar a qualidades dos cursos oferecidos por meio da clara evolução que tive nas provas de 3ª fase. Recomendo e muito!

profile-pic

Ele vai te ensinar a matéria, custe o que custar

Atualidades Concursos - Trecho de blog

O Luigi é o único professor que conheço disposto a sacrificar seu próprio tempo para ministrar aulas adicionais caso o conteúdo não seja exaurido no tempo planejado. A matéria será estudada até o final. Se o tempo alocado for insuficiente, mais aulas serão marcadas. Eu não me refiro a 20 ou 30 minutos a mais de aula, me refiro a aulas inteiras. 3, 6, 8 horas a mais de aulas caso seja necessário. (Leia o post completo: "Como começar a estudar para o CACD")

profile-pic

o Luigi conhece melhor que ninguém a banca para a qual ele prepara

Marianna Goulart - Diplomata aprovada em 2016 • 6º lugar geral (e 1º lugar na somatória das provas da 3ª fase)

As aulas de história do Luigi são as melhores para a terceira fase do CACD. E não é porque o Luigi é mágico, superdotado, ou o que for. É por um motivo simples que, embora simples, ainda é negligenciado volta e meia no mercado: o Luigi conhece melhor que ninguém a banca para a qual ele prepara. Nas provas de HB, utilizei o conteúdo (e até os jargões!) de diversos textos nos quais a banca se baseia sem nunca os ter lido. As aulas dele eram o suficiente para que eu absorvesse o conteúdo desses textos de forma efetiva (a didática dele é tão boa que eu conseguia me lembrar das palavrinhas escritas no quadro virtual na hora de responder às questões) e partisse para outro estudo - no CACD, tempo não é dinheiro, mas, talvez, seja aprovação. Além disso, as correções objetivas, baseadas em um estudo lúcido da banca, me puxavam sempre para um "terceiro andar" de conteúdo em detrimento das "nuvens" da forma. Em suma, o conteúdo correto bem ensinado aliado a uma grade de correção objetiva me levaram, por exemplo, do 9/30 ao 24/30 na questão 1 da prova discursiva de HB.

profile-pic

Para alguns, a maior deficiência em História é a "forma". No meu caso, sempre foi o conteúdo

Sarah Venites - Diplomata aprovada em 2016 • 4º lugar geral

Todas as matérias do CACD são importantes e devem ser cuidadosamente estudadas pelo candidato que se dispõe a enfrentar o Concurso com a ambição de ser aprovado. Ainda assim, nos últimos anos, tem-se notado o quanto a variação de notas em História do Brasil e Inglês é relevante na terceira fase. São justamente as matérias em que tive maior dificuldade ao longo da preparação.

De fato, para alguns candidatos, a maior deficiência em História é a famigerada "forma"... É preciso escrever bem. E escrever bem não significa, necessariamente, apresentar um texto rebuscado. No meu caso, entretanto, a maior dificuldade sempre foi com o conteúdo mesmo. Talvez por alguma deficiência na minha formação básica, sempre relacionei História ao desafio de memorizar datas, nomes, acontecimentos, e foi muito difícil me convencer de que era possível "entender" a matéria. Esse entendimento veio de maneira muito gradual, com muito esforço. Saber identificar um argumento historiográfico, diferenciá-lo de outras abordagens, inseri-lo em um processo histórico não foi algo que veio a mim de maneira natural. Obviamente, ainda tenho grandes lacunas a preencher, mas acredito que aprender a estudar a matéria foi uma das lições mais valiosas que a preparação para o concurso me trouxe. Também de maneira diferente à de muitos outros candidatos, eu não deixei pra me dedicar aos estudos para a terceira fase somente na última hora — especialmente em História do Brasil, que, reconhecidamente, era uma das matérias em que eu tinha pior desempenho. Antes de sair o Edital de Abertura do Concurso de 2016, o que eu mais fiz foi praticar a confecção de respostas no estilo da terceira fase.

Claro que todos os professores que fizeram parte da minha trajetória, bem como das de muitos outros candidatos, tiveram um papel essencial nessa evolução. Guardo carinho e gratidão por cada um deles. Dito isso, e em razão do tipo de dificuldade que sempre enfrentei, não posso deixar de compartilhar meu especial agradecimento ao Luigi, que me ajudou a superar algumas das muitas falhas que se apresentaram ao longo da preparação. As indicações de leitura e, talvez mais importante, as orientações sobre o que buscar nessas leituras, fizeram toda a diferença. O grau de paciência do Professor também foi algo excepcional — acredito que isso dê mais confiança ao aluno para tirar aquelas dúvidas que podem parecer bobas, mas que fazem toda a diferença mais adiante. As correções das respostas escritas também sempre foram muito detalhadas, com comentários pertinentes, e o Luigi sempre se mostrou aberto a explicar o motivo das marcações, com humildade para conversar com os alunos e para buscar subsídios acadêmicos que embasassem esses comentários.

Reitero, assim, meu apreço pelo Luigi e agradeço imensamente o esforço, a dedicação e o carinho empreendidos por ele ao longo dessa jornada. Espero, sinceramente, que os novos alunos consigam progredir em seus estudos e desejo êxito a todos ao fim do caminho! Vocês estão em excelente companhia! 😉

profile-pic

disponibilidade para discutir dúvidas e apoiar o aluno

Angelo Paulo S. dos Santos - Diplomata aprovado em 2018 • 2º lugar geral

As aulas do professor Luigi são extremamente proveitosas para o candidato ao CACD. O Luigi combina um amplo domínio do conteúdo com uma didática extremamente eficiente. Seu modelo de questões abertas é muito prático, permitindo um grande aproveitamento de parte do aluno. Além disso, sua disponibilidade para discutir dúvidas e apoiar o aluno tornam o curso ainda mais atraente.

profile-pic

Ele quer que você passe no CACD

Atualidades Concursos - Trecho de blog

Tem dúvida sobre a matéria? Mande um e-mail, ele responde. Continua com dúvida? Sem problemas, ele te passa o número do celular dele. Está sem crédito no celular? Dependendo da situação, ele te liga. (Leia o post completo: "Como começar a estudar para o CACD")

Classificação em concursos públicos (resumo)

 · 2009 — 1º lugar no Concurso Público para Professor (Magistério Superior) da Universidade da Força Aérea (UNIFA), Departamento de Ensino da Aeronáutica [nota final: 94,19].

 · 2009 — 1º lugar no Concurso Público para o cargo de Analista (História) do IBGE, Cesgranrio.

 · 2008 — 1º lugar no Concurso Público para Professor I - História (2ª CRE), Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.


Minha história

Eu comecei a dar aulas em um pré-vestibular comunitário. Foi há mais de 15 anos, antes de me formar.

Ensinar História tornou-se profissão pra mim em 2004. Desde então já dei aulas em praticamente todos os níveis e modalidades de ensino, para alunos da adolescência até a idade madura, em instituições públicas e particulares, do Ensino Fundamental à pós-graduação.

Mas passei a buscar a excelência e a especialização na preparação de aspirantes a diplomata a partir de 2007. Trabalhei nos principais cursinhos preparatórios para o CACD: Clio (no Rio, em SP e em BsB), LFG (Rio e telepresencial), Atlas (Rio, BsB e on-line), Sapientia (SP e on-line) e IDEG (Rio, São Paulo e on-line).

Também já tive meu efêmero período de pesquisador acadêmico (terminei o doutorado em História na UFF em 2008), além de ter namorado alguns bons anos com a História Pública (como historiador no IBGE).

Nos primeiros anos da minha carreira, fui aprovado em 1º lugar em alguns dos concursos públicos para historiador e para professor de História nos diversos níveis do magistério a que me submeti. Eventualmente flertei também com o "outro lado" dessa história, formulando questões e corrigindo provas de concursos públicos, vestibulares e avaliações em larga escala.

Mas larguei tudo isso pra viver plenamente a dor e a delícia que é formar diplomatas e aprender coisas novas a cada semana, tanto com os meus próprios erros quanto com as muitas lições que vocês não cansam de me ensinar.

E, em 2019, tive a alegria de voltar às origens, como professor do curso pré-vestibular comunitário Marielle Franco, um projeto maravilhoso que você pode conhecer melhor (e com o qual pode inclusive contribuir ativamente, se a ideia fizer seus olhos brilharem) clicando aqui.

Isso é o que tenho de mais importante a te dizer sobre o meu trabalho no que se refere à preparação para o CACD. Se você procura, contudo, aquele tipo de informação que costuma aparecer num currículo mais "formal", ou se tem interesse em conhecer mais detalhes a respeito da minha trajetória profissional, aqui vai: 


Publicações (resumo)

 · Reconhecimento do regime republicano (Dicionário histórico-biográfico da Primeira República)

 · Diplomacia das canhoneiras (Dicionário histórico-biográfico da Primeira República)

 · Corolário Roosevelt à Doutrina Monroe (Dicionário histórico-biográfico da Primeira República)

 · O primeiro embaixador, à sombra do barão (Retratos sul-americanos, vol. 3)

 · Como se faz um herói republicano: Joaquim Nabuco e a República (Tese de Doutorado, UFF, 2008)

 · Como se faz um herói republicano: Joaquim Nabuco, o pan-americanismo e a República (Projeto Nota Dez, Revista Cantareira)

 · História pelas memórias (resenha do livro O chalé da memória, de Tony Judt, para o suplemento Prosa e Verso do jornal O Globo)

 · Para ler as Memórias de um sargento de milícias: uma perspectiva materialista da análise de fontes literárias em História (Revista Cantareira)


Experiência Profissional (resumo)

jan. 2019 — hoje Pré-vestibular comunitário Marielle Franco
 · Professor voluntário de História para o ENEM e vestibulares (Rio de Janeiro, RJ)

jan. 2017 — hoje luigibonafe.com Educação
 · Professor de História para o CACD (Rio de Janeiro e on-line)

abr. 2015 — hoje IDEG - Instituto de Desenvolvimento e Estudos de Governo
 · Professor de História para o CACD (Rio de Janeiro, São Paulo e on-line)

jan. 2015 — mar. 2017 Curso Sapientia
 · Professor de História para o CACD (São Paulo e on-line)

jun. 2010 — out. 2016 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
 · Analista [História] (Rio de Janeiro e rede de Unidades Estaduais)

set. 2010 — abr. 2015 Curso Atlas
 · Professor de História para o CACD (Brasília, Rio de Janeiro e on-line)

jul. 2010 — dez. 2010 Rede LFG
 · Professor de História no curso Carreira Diplomática (telepresencial e Rio de Janeiro)

jul. 2007 — abr. 2010 Curso Clio
 · Professor de História para o CACD (Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília)

2007 — out. 2009 Instituto Gaylussac
 · Professor de História para o Ensino Médio (Niterói, RJ)

jul. 2007 — jan. 2008 Universidade Federal Fluminense (UFF)
 · Professor no curso de graduação em História [estágio docente para bolsistas de doutorado] (Niterói, RJ)

mar. 2005 — dez. 2005 Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
 · Professor substituto no curso de graduação em História (Rio de Janeiro, RJ)

out. 2002 — maio 2007 Pré-Vestibular para Negros e Carentes (PVNC) - núcleo Anil
 · Professor voluntário de História em pré-vestibular para alunos pretos e pardos carentes (Rio de Janeiro, RJ)


Formação

2004 — 2008 Universidade Federal Fluminense (UFF)
 · Doutorado em História Social (Tese Como se faz um herói republicano)

2000 — 2004 Universidade Federal Fluminense (UFF)
 · Bacharelado e Licenciatura em História


>